Dia 18 – 30 Day Blog Challenge

Diário Blog Challenge

Como mudei nos últimos dois anos? Para responder essa pergunta precisaria reservar um tempo e me auto analisar.

Respondendo de bate pronto, não sem antes pensar um pouco, diria que tenho encarado melhor minhas próprias fraquezas. Tenho sido mais sincera ao reconhecer minhas limitações e tenho escolhido lidar com elas, ao invés de me omitir. Não é sempre, e tampouco sem esforço, mas noto em mim melhora nesse sentido.

Tentei uma “consulta aos universitários”, porém quando fiz essa pergunta ao meu marido ele me disse “de cara” que fiquei mais bagunceira. Não duvido, mas reclamei, é claro! Pedi que me falasse uma “mudança boa”, e me veio com a resposta de que “sempre fui boa” e “não teria como melhorar”. Ownnn… Finjo que acredito, e termino o texto por aqui.

Agora a auto-análise em que mergulhei após essa pergunta…. Ahhh…. Essa continua…. rs

Me diz você aí do outro lado…. Como mudou nos últimos dois anos?

 

 

Anúncios

5 Dicas simples para se tornar uma pessoa matinal.

coffee

Sabe aquelas pessoas que não são elas mesmas pela manhã?! Super me identifico! É muito comum eu acordar de mau humor, e definitivamente não sou uma pessoa muito agradável antes de tomar minha boa dose de café.

Talvez por isso, dia desses meu marido me enviou uma matéria da DailyHive Vancouver, revista digital aqui do Canadá, falando sobre “5 dicas simples para se tornar uma pessoa matinal”. Eu esperava encontrar sugestões bem clichês, já que todos acabam sempre dizendo a mesma coisa, mas até que me surpreendi. A matéria traz recomendações bem interessantes, que nunca tinham me ocorrido antes. Então resolvi traduzir…. Seguem as dicas:

1. Leia alguma coisa.

Pegue um livro pela manhã e leia algumas páginas. Escolha um gênero que te agrade, para não começar a bocejar de sono. Algumas pessoas preferem literatura motivacional para manterem-se focadas durante o dia. Mas se você preferir, leia algo divertido que te deixe com bom humor antes de enfrentar a rotina do trabalho.

Além disso, a leitura pode ajudar a abastecer sua criatividade para o dia que tem adiante, e você pode se propor a fazer isso por apenas 10 minutos todas as manhãs.

2. Alongue-se.

Seu corpo irá agradecer por separar alguns minutos para alongar-se.

Comece esticando sua parte superior do corpo, e gradualmente vá adicionando peso para ajudar a tonificar seus músculos. Inserir a prática do yoga em sua rotina matinal também pode te ajudar a encontrar mais equilíbrio, e você ainda pode aproveitar este momento para definir suas intenções para aquele dia. Isso irá melhorar suas habilidades para tomar decisões.

Observação da blogueira: Não entendi muito bem essas instruções de alongamento que deram na reportagem, mas não é difícil encontrar esse tipo de exercício em vídeos no Youtube, inclusive algumas posições mais simples de yoga. Penso que alongar-se é mesmo uma ótima forma de começar o dia. 🙂

3. Ouça Música

Colocar suas músicas favoritas para tocar facilitará suas manhãs e te “dará mais gás” para enfrentar um dia cheio. Sincronize suas atividades matutinas com as vibrações das batidas. Assim, você pode ouvir música enquanto escova os dentes ou prepara o café da manhã.

Tente dançar enquanto ouve a música e irá perceber que começará a se sentir feliz por estar acordado, mesmo que ainda esteja escuro lá fora.

Observação da blogueira: Longe de mim querer atrapalhar o bom humor de alguém, mas se for seguir essa dica, use fones de ouvido! 😉

4. Probióticos

O café da manhã é a mais importante refeição do dia, e uma tigela com ingredientes leves e nutritivos é tudo o que você precisa para alimentar o seu cérebro para o resto do dia. Ignore o café da manhã e mais tarde você irá notar que sente-se sonolento, não conseguindo reter nem mesmo informações úteis.

Para evitar isso, prepare uma tigela de aveia e adicione uma bebida probiótica em sua primeira refeição do dia para recarregar seus níveis de energia. Você sempre pode incrementar sua tigela de aveia com frutas, para ficar mais agradável.

Observação da blogueira: Não me apeteceu muito não, mas acredito que um café reforçado com proteínas e fibras pode fazer efeito. De repente, pode ser que ajude acrescentar um Yakult, que é o único probiótico de que consigo me lembrar agora… rs 😮

5. Coloque-se para cima

Você pode até achar um pouco bobo fazer isso nas primeiras vezes, mas não se preocupe. Comece a ter uma pequena conversa com o seu “eu matinal” em frente ao espelho, e verá que poderá se sentir mais confiante ao longo do dia.

Ao sair da cama, a motivação para o longo do dia pode não ser a primeira coisa que você tenha em mente, mas basta definir isso como prioridade e irá se perguntar porque não estava fazendo isso antes.

Uma conversa energética consigo mesmo é tudo o que você precisa para sacudir o seu interior e desencadear uma atitude positiva.

 

É… As culturas podem ser até diferentes, mas a verdade é que nós humanos somos todos muito parecidos em qualquer lugar do mundo. Até nisso, só muda o endereço! rs

Enfim, são essas as dicas, e estou pensando seriamente em adotar algumas delas. Acho realmente que pode dar certo. Espero que ajude vocês por aí também.

Bjs,

Mari Marques.

 

PS: Não traduzi a reportagem ao pé da letra, e posso ter omitido algumas partes que ficaram confusas na minha tradução. Tentei apenas manter o sentido para facilitar o entendimento das dicas sem comprometer a informação passada. No link abaixo vocês podem conferir a reportagem na íntegra.

Fonte: DailyHive Vancouver – 5 simple hacks for becoming a morning person

Tradução Livre.

Sobre Virar Dona

Virando Dona

Quando escolhi o título do blog queria que ele fosse capaz de sintetizar o momento pelo qual eu estava (e acho que sempre vou estar) passando. E demorei um pouco para me decidir… porque, embora meu principais desafios girassem em torno do universo doméstico naquele momento, não se tratava apenas disso!

Como todo ser humano, ao longo do tempo vamos acumulando algumas questões internas. Entrar oficialmente na “vida adulta”, tendo de cuidar da minha própria casa e administrar um relacionamento, só fez com que eu tivesse de encarar cada uma dessas questões mais seriamente. E ou eu lidava com elas, ou seria absorvida pelas mesmas!

Antes que vocês pensem que eu estava naufragando em um mar de problemas graves, tenho de esclarecer que não. Acontece que quando deixamos para lá muitas e muitas coisinhas pequenas, elas se juntam e tornam-se grandes, podendo sim virar um problema. São os sonhos que foram adiados, a insatisfação na carreira, a emocionalidade exagerada, as expectativas e frustrações quando as coisas não saíam do jeito imaginado, o lidar com o outro que é diferente, etc, etc.

Então, apesar de o meu estopim para querer tomar atitudes de mudança ter sido a “falta de habilidade” que eu jurava ter para administrar uma casa, a questão nunca foi sobre como ser uma dona de casa melhor, mas como ser melhor no que me proponho a fazer, inclusive no que se refere ao “ser” propriamente dito.

Pode ter sido a “crise dos 30” também! Comecei a reparar que, nos últimos tempos, minha principal justificativa para qualquer coisa estava sendo o “eu sou assim”, mas tinha me esquecido que o “ser” é uma escolha, e eu definitivamente não quero ser o tipo de pessoa que se prende a conceitos fechados só porque já passei muito tempo acreditando neles. Se existem outras formas de se desenvolver, realizar e crescer, e eu não estiver feliz com o jeito como estou conduzindo alguma área da minha vida, posso e devo tomar atitudes de mudança. É difícil, vai doer em alguns momentos, mas é extremamente recompensador!

E é isso que significa o “Virar Dona” para mim. Ninguém nessa vida é perfeito…. e também não tenho a pretensão de ser… mas posso agir de forma que daqui há alguns anos eu me orgulhe por ao menos ter tentado ser a melhor versão de mim.

Não falo daqueles aspectos que não podem ser mudados, até porque aceitar a si mesmo é imprescindível para ser uma pessoa mais confiante, a grande questão é aprender a usar nossas características da melhor forma possível. Só porque não se encaixa em um padrão não quer dizer que é um defeito, mas podemos encontrar um jeito de usarmos até nossos pontos fracos positivamente. Como isso será feito, cabe a cada um investir tempo em se autoconhecer.

Termino o texto com a frase de Saramago, que deixa um belo conselho a ser levado em conta nesse processo de “virar dona” de si mesma: “É necessário sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós.”

Bjs,

Mari Marques.

 

Hoje venci a preguiça!

Comemore as pequenas conquistas

É uma segunda feira enquanto escrevo esse post (ironicamente), meio que como uma forma de incentivo, meio que como um jeito de compartilhar minha pequena conquista!

Quem leu meu último post sobre “A crença na mudança” já sabe sobre meu pequeno probleminha em postergar para as segundas feiras seguintes aquilo que acredito internamente não poder fazer hoje (seja por falta de organização, por achar que não vai dar mais tempo ou por preguiça mesmo, o que é bem comum). Aliás, problema que não é exclusividade minha… a gente tende mesmo a associar o início de uma nova semana como a oportunidade de um recomeço…. Nada de errado com isso, se não fosse apenas mais uma desculpa para adiarmos eternamente o que poderíamos fazer agora.

Tentando analisar os meus porquês para ter entrado nesse círculo vicioso de adiamentos, percebo que na maioria das vezes não existe uma razão justa para não cumprir meus prazos pessoais e acabar embarcando nessa crença de que “amanhã farei diferente”. Percebo que quase sempre o problema gira em torno da velha conhecida preguiça. E só não digo sempre, porque é claro que vez ou outra existem exceções.

Pensando nisso, percebo que todas as desculpas inteligentemente pensadas e internalizadas, são apenas tentativas de tornar a preguiça legítima. Não poucas vezes me peguei justificando um adiamento por já ter “passado do horário razoável de começar hoje”, ou por “não ter os recursos necessários para começar”, ou por “não querer ir em algum lugar sozinha”, ou “por querer que seja perfeito”, e muitas outras justificativas que nem sei mais.

Bom… se o horário já está avançado, eu posso pelo menos começar com o que dá para fazer hoje, mas morgar no sofá assistindo TV no final da noite é mais convidativo…. se eu não tenho os recursos necessários, posso criá-los e ir começando com o que tenho, mas é mais fácil dizer que não dá…. se não tenho quem me acompanhe, qual o problema de ir sozinha? O desafio é meu! Eu é que tenho de encará-lo! Nesse caso, companhia as vezes até atrapalha… E se não for perfeito, e daí? Quem disse que precisa ser?

Tá vendo? Para todas as desculpas que nossa mente pode criar existe uma solução possível, mas optamos não ver, muitas vezes por pura preguiça. É claro que existem outros fatores que fazem ninho na nossa mente e nos impedem de ir adiante, mas hoje, foi contra esse que eu lutei: a preguiça! E digo que foi bom, por mais pequena que seja a conquista.

Nenhum prazer momentâneo pode superar a alegria de realizar algo que você estabelece como meta para você. Então sempre que a preguiça vier e as desculpas começarem a aparecer, o melhor que podemos fazer é vencer esse sentimento e ir à luta! 🙂

Ah… sobre minha pequena conquista… hoje venci a preguiça, porque fui me exercitar mesmo quando o horário pré-estipulado já tinha passado. Sem querer me peguei pensando automaticamente que “hoje não daria mais tempo e seria melhor começas amanhã”. O problema é que esse amanhã nunca chega, e eu já estou nessa faz mais de um ano, insatisfeita com o espelho e reclamando dos quilos a mais que não vão embora sozinhos… mas isso é tema para outro post.

O que quero registrar aqui é o prazer que dá vencer suas desculpas e mandar a preguiça para escanteio. A conquista pode ter sido pequenininha mas estou feliz em dizer que finalmente meu amanhã eu fiz hoje! 🙂

Continuemos…

Beijos.

Mari Marques.