Dia 8 – 30 Day Blog Challenge

Diário Blog Challenge

Insegurança

Acredito que nenhum outro sentimento nos prega tantas peças como o da insegurança. Principalmente por nem sempre ser fácil identificá-lo logo de início, já que muitas vezes vem disfarçado em dúvidas ou mesmo excesso de prudência.

Em frase atribuída a William Shakespeare, o mesmo teria dito que “Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que seria nosso pelo simples medo de tentar”. E esse “medo de tentar” é justamente o que entendo como a raiz de toda a insegurança que vira e mexe nos assombra. Sei bem disso porque estou sempre lutando contra ela.

Trata-se de uma inimiga ardilosa. Primeiro porque admiti-la requer um pouco mais do que coragem, é necessário clareza sobre si mesmo. E nem sempre  a temos (aliás, difícil tê-la em um primeiro momento). Porém, só quando enxergamos os reflexos da insegurança em nossas atitudes é que estamos aptos a enfrentá-la, não nos deixando sucumbir à tendências de procrastinação e ao mar de indecisões que ela gera.

Daí, percebo que a insegurança, além de ser o “medo de tentar”, é também e em grande parte o “medo de fracassar”. O que não faz sentido, já que o fracasso, por si só é tão relativo, que sua mera possibilidade não deveria ser capaz de nos impedir algo. A bem da verdade, o fracasso costuma ser uma importante etapa em qualquer história de sucesso que lemos por aí. Ter medo dele é boicotar o próprio desenvolvimento.

Acontece que a insegurança fomenta em nós uma série de pensamentos limitantes, como o “não ser boa o bastante”, o “qualquer um faria isso melhor do que eu” ou o”não consigo”, dentre tantos outros que ficaria difícil elencar. E aos poucos eles geram em nós medos infundados, que se não enfrentados podem nos fazer estagnar. Conforme vamos tomando consciência das características da insegurança em nosso comportamento, podemos questionar esses pensamentos limitantes que ela traz, e enfrentar as situações de frente, apesar dos medos, pois saberemos que são apenas um reflexo.

Já me esquivei de algumas oportunidades apenas por insegurança, e já posterguei projetos pelo mesmo motivo. Então, posso dizer com convicção que lidar com o arrependimento é sem dúvidas muito pior do que lidar com um fracasso ou com o julgamento alheio. A vida é uma só, de modo que vivê-la será sempre a melhor opção. Hoje sigo o lema que li uma vez aqui pela internet: “Vai! E se der medo, vai com medo mesmo”. É uma luta constante, nem sempre consigo ser mais forte do que minhas inseguranças, mas sei que nisso só poderei evoluir tentando.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s