Saudade de imigrante

saudade

A vida de imigrante traz uns desafios muitas vezes difíceis de lidar. Por isso, é tão comum ouvir relatos de pessoas que desistem do projeto de morar fora ou desenvolvem algum tipo de depressão logo nos primeiros anos.

É muito enriquecedora a oportunidade de viver em outra cultura e aprender coisas novas todos os dias, então me foco nisso sempre que algum pensamento negativo aparece ou tenho de enfrentar alguma situação que seria mais fácil de lidar em meu país natal. Sou extremamente grata a Deus por estar aqui hoje, vivendo tantas experiências novas e construindo uma história ao lado do meu marido, que antes era só um sonho para nós. Por isso não me sinto no direito de reclamar, e jamais o faria. Estou feliz aqui e sei que para tudo há um propósito!

No entanto, toda essa consciência e alegria por viver o que se sonhou não é capaz de atenuar alguns efeitos colaterais do dia a dia de um imigrante. São muitos os desafios que eu poderia elencar aqui, e não caberiam neste post. Então quero relatar ou desabafar sobre o mais difícil deles para mim: a saudade.

Certo é que a tecnologia ajuda muito a administrar esse sentimento. Não imagino como as pessoas lidavam com isso há uns 10 ou 20 anos atrás, sem whats app, facebook e o bendito do skype. Hoje, quando a saudade aperta muito podemos nos ver pela tela do computador e ter uma conversa como se estivéssemos na mesma sala. Ainda assim, não substitui o abraço, o cheiro, o toque… E em alguns dias, é precisamente isso o que a gente mais quer.

Essa é a pior saudade, a falta que sentimos em estar perto daqueles que amamos. Pois, por mais que tentemos nos fazer presentes através da tecnologia, a sensação é de que sempre estamos perdendo alguma coisa, e dói sentir isso. Talvez este seja o preço mais alto a ser pago por viver esse sonho, daí a importância de saber para onde se quer ir.

Existe ainda uma saudade que é difícil de explicar, pois tem a ver com a sensação de pertencer a algum lugar. Não sei se isso acontece com outros imigrantes, mas por vezes sinto falta de ser parte de um todo. Talvez isso mude com o tempo… talvez não. De qualquer forma, é algo com o que estou aprendendo a lidar e ainda associo muito ao sentimento de saudade por ter raízes. Meio estranho, não é?! Acredito que só sentindo para entender.

Fora isso, existem também aquelas saudades bobas, de algum traço cultural, da gastronomia da nossa própria região, algum programa de tv e coisas do tipo. Essas são até bem fáceis de relevar, mas se dermos vazão aos sentimentos que vêm com as saudades que falei mais acima, sentir falta de uma coxinha pode ser um potencializador.

Por maiores que sejam as alegrias em desbravar o mundo, a saudade é algo que todo imigrante tem de aprender a lidar. Acaba virando parte de quem somos, e não acho ruim que seja assim, apesar de parecer difícil as vezes. No fim das contas, significa que temos para onde e para quem voltar.

Grande Bjo,

Mari Marques.

Anúncios

Um comentário sobre “Saudade de imigrante

  1. […] Vida de imigrante é cheia de saudades. Tem dias em que sinto falta até do cheiro de alguma coisa. No entanto, nada faz o coração apertar mais do que estar longe da família. Já até escrevi sobre isso em outro post (clique aqui para ler). […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s