[Tag] Vida de Estrangeira

Vida de Estrangeira

Olá pessoal!

Tenho estado um pouco sumida do blog nos últimos dias, e como já falei em outro post, desde que comecei a escrever regularmente por aqui fico me sentindo bem pesarosa quando não consigo atualizar as postagens. Este blog tem se tornado uma ótima companhia, e definitivamente não quero deixá-lo de lado. rs

Então, para a semana não passar em branco, já que não trouxe nenhuma atualização, hoje vou responder à Tag: Vida de Estrangeira, que vi no canal da Lívia Lamblet Heatherly, uma brasileira morando nos Estados Unidos.

Também quis responder a essa Tag específica, porque no final do mês completaremos um ano morando aqui no Canadá, então achei que poderia ser interessante, até mesmo para comparar minhas percepções no futuro. Vamos às perguntas! 🙂

 

1. Nome.

🙂 – Mariana

2. Idade e país onde reside.

🙂 – Tenho 32 anos e estou morando em British Columbia, no Canadá.

3. Há quanto tempo você mora fora do Brasil?

🙂 – No próximo dia 27, meu marido e eu completaremos 1 ano morando aqui.

4. Como foi a sua fase de adaptação?

🙂 – Eu acho que os primeiros meses são de puro encantamento, já que tudo é novidade. A adaptação começa um pouco depois, conforme vamos nos inserindo na “vida real”. Eu sinto que ainda estou nessa fase. Algumas coisas já são mais fáceis do que antes, outras ainda continuam um pouco difíceis, e acredito que haverão mais descobertas pela frente. Talvez seja melhor responder esta pergunta no futuro.

5. O que mais te assustou na cultura desse país?

🙂 – O Canadá é uma país muito aberto à imigração (apesar de não ser tão fácil como dizem por aí), então aqui tem gente de tudo quanto é canto desse mundo. Consequentemente, as influências são bem variadas, e muitos imigrantes vem para cá mas não se inserem completamente na cultura local, mantendo suas próprias tradições.

Não posso dizer que isso me assustou, mas estranhei um pouco, já que fica meio difícil identificar a cultura canadense logo de cara, mas acredito que essa diversidade também seja uma marca cultural daqui e muita coisa ainda estou aprendendo.

6. O que você mais gosta na cultura desse país?

🙂 – A gentileza aqui é cultural mesmo. E existe um respeito absurdo pelo espaço do outro

7. O que você menos gosta na cultura deles?

🙂 – São “relax” demais. Isso é ótimo no começo, mas pode irritar as vezes.

8. Um ponto turístico que você indica.

🙂 – Os parques de British Columbia são maravilhosos. O mais famoso deles é o Stanley Park, que fica bem no centro de Vancouver mesmo.

9. Passou alguma dificuldade no início?

🙂 – No início eu estranhei um pouco o sistema de transporte público daqui, mas não chegou a ser uma dificuldade.

10. Conte uma conquista adquirida ou um momento feliz que você passou aí.

🙂 – Chegar aqui por si só já foi uma conquista.

11. Uma loja BBB (Boa, Bonita e Barata) para indicar.

🙂 – Definitivamente indico a Winners. Lá você encontra peças de todas as marcas que possa imaginar com preços de ponta de estoque. O único “problema” é que eles só possuem na loja as peças que ficam expostas, então se você achar algo que goste e sirva, o melhor é levar logo, porque se deixar para comprar no dia seguinte muito provavelmente alguém já terá levado. Mas pelos preços, vale muito a pena.

12. Indique de 1 a 3 produtos BBB para comprar aí.

🙂 – Não estou conseguindo pensar em três produtos específicos, mas comparando com os preços que temos no Brasil, acho que o que mais vale a pena comprar aqui são: roupas, maquiagem e produtos de beleza.

13. Um restaurante BBG  (bom, bonito e gostoso) para indicar.

🙂 – Nunca consigo escolher um só, porque minhas preferências sempre acompanham o meu humor. Então vou listar os que eu mais gosto e o porquê:

Dennys’s – A única coisa que peço quando vou lá é o café da manhã (mesmo que esteja de noite). Típico breakfast norte americano. Acho delicioso.

Sushi California – Foi a melhor comida japonesa que comi aqui até agora. O único problema (para mim) é que eles não oferecem rodízio.

Anton’s Pasta – Melhor massa. ❤

Tomokazu – Restaurante de comida japonesa com opção de rodízio (all you can eat). Marido e eu amamos comida japonesa, e já tentamos outras indicações de rodízio antes de acharmos esse. Foi de longe o que mais gostamos.

14. Uma comida para experimentar.

🙂 – O prato mais tradicional do Canadá é a poutine, uma porção de batata frita com molho e queijo. Nunca experimentei, porque sempre que olho para a cara dela não me apetece (tenho a impressão de que é mega gordurosa). Então, vou indicar os Donuts e cheesecake, porque definitivamente os daqui são os melhores que já comi na vida.

15. O que um brasileiro não deve fazer aí que seria perigoso e/ou constrangedor.

🙂 – Perigoso eu realmente não sei, mas tem uma lista de coisas que costumamos fazer no Brasil que seriam “constrangedoras” aqui: falar alto, fazer perguntas pessoais, não dar gorjetas, entrar na casa dos outros com sapatos, cumprimentar as pessoas com beijo, etc.

16. Uma moda estranha.

🙂 – Eu não sei se isso é moda, mas acho muito estranho o fato de muita gente aqui ir no supermercado vestindo pijamas (sério!).

17. O que te faz falta no Brasil?

🙂 – Minha família e as interações sociais mais calorosas.

18. Indique algo que valha a pena comprar aí.

🙂 – Produtos de beleza.

19. Mande um beijo para quem você tem saudades.

🙂 – Minha família. Sempre. Aqui seria o lugar perfeito se eles estivessem aqui.

Taí… Mais uma tag respondida. 🙂

E se alguém de Vancouver ou redondezas estiver me lendo, pode compartilhar aí nos comentários outras indicações.

Grande Bjo,

Mari Marques.

 

 

 

(Três) Filmes e (Uma) Série para assistir a dois

ann-savage-394472_1920

Ann Savage e Tom Neal, em Curva do Destino (Detour – 1945)

Outro dia eu estava pensando sobre como alguns filmes se encaixam perfeitamente para agradar aos dois gêneros. Parecem terem o roteiro escrito para casais. E muito provavelmente deve ter sido isso mesmo.

Eu assisto qualquer coisa…. De verdade! Sou louca pela sétima arte desde sempre, então posso começar pelo romance bem clichê, me debulhar em lágrimas com aquele drama bem denso, vibrar nos filmes de ação e até rir com um cinema trash. Mesmo o terror, que era o único gênero para o qual eu torcia o nariz, ultimamente tenho topado.

Acontece que nem todos são assim, e geralmente quando o programa do casal é assistir um filme ou série no catálogo do Netflix , pode-se perder um bom tempo até uma decisão que agrade aos dois.

*Parêntese aqui para dizer que a frase original era: “quando o programa do casal é escolher um filme na locadora…”, e aí eu me lembrei que praticamente não existem mais locadoras. Será que eu estou velha ou o mundo é que está mudando muito rápido? Espero que seja a segunda opção! rsrs

Com isso, resolvi listar aqui alguns filmes (e de quebra uma série) que eu, particularmente, considero perfeitos para serem assistidos a dois, por agradarem Marte e Vênus em uma tacada só.

[Filme 1] – Encontro Explosivo

encontro-explosivo-poster

Ação do início ao fim, com um romance que se desenvolve em meio a doses de comédia na medida certa. Taí o filme perfeito para assistir a dois, sem briga… Já que agrada a todos os gostos.

Além do que, achei que funcionou muito bem a química entre Tom Cruise e Cameron Diaz nesse filme.

June Havens (Cameron Diaz) leva uma vida tranquila e sem muitas emoções até esbarrar com o agente Roy Miller (Tom Cruise) em um vôo de avião que a levaria para o casamento de sua irmã. A partir daí se vê envolvida em uma trama cheia de perigos e reviravoltas, fazendo com que o agente Roy sejao único em que possa confiar.

[Filme 2] – A verdade nua e crua

A Verdade Nua e Crua

Pode parecer só mais uma comédia romântica, mas a linguagem também agrada ao público masculino, por mostrar bem os dois lados.

Sem falar que o filme é muito engraçado.

Abby Richter (Katherine Heigl) é uma produtora de TV extremamente conservadora, mas competente em sua função. Fica indignada quando seu chefe decide contratar Mike Chadway (Gerard Butler), um machista meio grosseirão que dá ibope, para alavancar a audiência.

Muito contrariada, ela acaba enxergando Mike como um inimigo, mas se vê aceitando a “ajuda” dele para conseguir alavancar sua vida amorosa.

O filme retrata a clássica “batalha dos sexos”, e consegue render boas risadas.

[Filme 3] – Sr. e Sra. Smith

sr_e_sra_smith

Esse é considerado o filme que serviu para juntar Brad Pitt e Angelina Jolie. Se foi uma boa coisa, não posso opinar, mas rendeu mais de uma década para o casal referência de Hollywood, e o filme ainda é lembrado até hoje.

Assim como na primeira sugestão, acho esse tipo de filme muito legal, por focar na ação, dando espaço para explorar o romance sem ser piegas.

Ambos os personagens são matadores de aluguel de agências rivais, e apesar de casados, não sabem desse lado secreto um do outro.

Em meio a uma crise no casamento, recebem respectivamente uma missão que os coloca frente a frente, revelando esse segredo. É a partir daí que a história se desenrola, em meio a muita ação, humor e também romance.

[Série] – How I met Your Mother

HIMYMEstou assistindo a série pela segunda vez com o marido (somos desses), e confesso que estou gostando mais agora do que na primeira vez.

A série segue a linha de “Friends” (minha queridinha), só que traz alguns questionamentos em cada episódio, tanto sobre os desafios pessoais de quem está nessa faixa dos +25 -35 anos, como também pontua temas interessantes sobre relacionamento e amizade.

As histórias são contadas pela visão do Ted, personagem principal, mas mostra a perspectiva das personagens femininas também. Então é uma linguagem que alcança tanto o público feminino como o masculino. E, de quebra ainda traz questões relevantes para serem debatidas entre casal. 😉

 

Olhando aqui para a minha lista, estou percebendo que todos se encaixam no gênero “comédias românticas”. Não sei se foi coincidência ou se este é mesmo um estilo de filme “comum de dois”. Lembrando que as sugestões foram baseadas em uma opinião feminina. Gostaria muito de saber se concordam ou não, o porquê, e principalmente se vocês têm outras sugestões de filmes/séries para assistir a dois. Deixem aí nos comentários! 😉

Grande Bjo,

Mari Marques.