Os primeiros desafios da Vida de Casada

Sobre Relacionamentos

Quando o assunto é casamento, a maioria das pessoas passa anos sonhando com o grande dia, mas esquece de se preparar para o que vem depois de toda a festa.

Acordar todos os dias ao lado da pessoa que você ama e com a qual agora você tem um pacto de vida é, de fato, uma sensação maravilhosa, mas pode ser também o maior desafio que você já teve de encarar.

Desafio, porque duas pessoas com bagagens tão distintas, personalidades e desejos tão próprios, não vão simplesmente passar a caminhar na mesma direção como que por um passe de mágica. Isso é lindo nos filmes, mas é utópico. E é bom que seja assim. Caso contrário, grande parte da beleza de se construir um relacionamento estaria perdida.

Então, para mim, o primeiro grande desafio da vida de casada é (e foi) justamente a adaptação à convivência. São as manias de cada um que o casal terá de se acostumar, certos hábitos que ambos terão de perder ou mudar, e principalmente a sensibilidade para perceber quem de fato é o outro. Porque se tem algo que o casamento irá fazer é colocar uma enorme lente de aumento em cima de vocês dois.

Assim, coisas com as quais você sequer se incomodava antes, podem passar a irritar profundamente. E não apenas isso, mas em algum momento você vai começar a perceber detalhes da personalidade do outro e de toda a história que ele carrega, descobrindo coisas boas e não tão boas também. Mas antes de pensar que isso pode ser pesado demais para encarar, lembre-se que é recíproco…. sua “caixinha de Pandora” eventualmente irá se abrir e seu parceiro também terá de lidar com tudo o que você é ou não é.

E está aí uma das razões por hoje eu acreditar que a verdadeira “lua de mel” só vai  começar mesmo após o primeiro ou primeiros anos de casamento. Principalmente, porque você só vai poder dizer que realmente ama alguém, após conhecer todas as suas vertentes, desde as melhores virtudes até os piores defeitos, sem esquecer das doses de “loucura” que cada um traz consigo. E sobrevivendo a isso, o amor passa a se apresentar de uma forma muito mais madura, diferente de tudo que você possa ter vivido até então, trazendo conforto, segurança e um afeto indescritível pelo outro e por tudo o que passam a construir juntos.

Fico imensamente triste quando vejo casais desistindo logo nas primeiras crises, que são tão necessárias para aperfeiçoar o amor. Como mulher cristã, acredito que a base para o casamento é muito mais do que um sentimento romântico, mas a fidelidade à uma escolha feita em forma de aliança. E é através dela que o amor sai fortalecido após os  contratempos na caminhada da vida.

Paul Washer, um pregador norte-americano que gosto muito de ouvir, diz que Deus o levará ao relacionamento com alguém que, na maioria das vezes, não é apenas incompatível com você, mas que é fraco exatamente nas áreas que você quer que essa pessoa seja forte, e isso justamente para que o amor incondicional, a misericórdia e a graça de Cristo sejam refletidos em você. Isso é muito forte!

Sei que muitas pessoas não acreditam nessa visão bíblica do casamento, mas a beleza que vejo nisso está no fato de podermos nos tornar pessoas muito melhores do que um dia imaginamos ser, justamente por permitirmos em amor que o outro nos transforme, transformando a ele também. E isso independe de religião, tem mais a ver com a forma como encaramos nosso próprio orgulho, já que mudar dói, ainda mais se for algo no qual nos apoiamos por muito tempo.

Dito isso tudo, o que tenho aprendido nos meus primeiros anos de casada é que quando a gente “baixa a guarda” e se abre para as mudanças que surgem pelo relacionar-se com o outro, passando a enxergá-lo sem os ideais que possamos ter criado, acabamos descobrindo quem de fato somos e tudo o que podemos ser.

Sim, é desafiador, mas posso dizer sem sombra de dúvidas que é uma experiência incrível! Hoje, me vejo capaz de coisas que, por medo, me travava no passado. E isso, pelo simples fato de ter aprendido a tirar o foco de mim mesma, me descobrindo muito mais adaptável do que julgava ser.

É claro que quando o casal tem a mesma visão de como conduzir um relacionamento, é tudo muito mais simples, mas nada impede que a partir de uma atitude sua o outro sinta os reflexos positivos e siga na mesma direção.

Bom… eu sou uma super fã de casamentos, porque apesar de saber que não é o amor que sustenta um relacionamento, mas sim o relacionamento é que sustenta o amor, como bem diz outro pregador que gosto muito, John Piper, acho lindo ver a forma como esse sentimento se aperfeiçoa quando permitimos que isso aconteça. Então sempre vou torcer e dar conselhos para que se lute, porque eu sei que quando o casal se empenha, não importa a situação, o que vem depois é sempre melhor.

Abaixo deixarei alguns links sobre casamento que acho interessantes. Espero que edifiquem.

Grande Bj,

Mari Marques.

 

Links:

Casamento e Amor – John Piper, Don Carson e Tim Keller

A Glória de Deus no Casamento – Por Paul Washer e John Piper

Anúncios

Um comentário sobre “Os primeiros desafios da Vida de Casada

  1. […] último post falei sobre os Primeiros Desafios da vida de Casada e tentei mostrar um pouco sobre qual a visão de casamento que eu […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s