Vivendo com resiliência

resiliencia

Existe uma palavrinha que eu gosto muito, a chamada “resiliência”. Ela parece simples, mas carrega um significado bem profundo (como tudo o que é simples nessa vida).

Em suma, entendo que resiliência é a capacidade que o ser humano tem de se adaptar às dificuldades, aceitando de bom grado o que não pode ser mudado em certo momento. Segundo o dicionário, é a habilidade de se adaptar com facilidade às intempéries, às alterações ou aos infortúnios. Olhando mais para o campo da psicologia, a resiliência seria uma virtude humana em resistir aos momentos difíceis com esperança e equilíbrio emocional.

Muitas vezes nós passamos muito tempo planejando algo, mas no momento em que o plano toma forma, percebemos que nossas expectativas eram muito maiores. Ou mesmo que não fossem tão maiores, as vezes simplesmente parece que tudo era melhor enquanto ainda estava no papel. E é muito difícil não se deixar levar pelo sentimento de frustração, que se não tomarmos cuidado acaba nos puxando para baixo, anulando nossas reações.

Toda mudança passa por uma fase de adaptação, que para alguns vai ser rápida enquanto para outros talvez demore mais e seja até mais difícil. E em uma era de “redes sociais” onde vidas perfeitas e resultados magníficos são vitrinados o tempo inteiro, difícil não se perguntar em algum momento se você está fazendo algo errado ou se não existiriam caminhos melhores para as suas escolhas.

Mas a grande questão é que nada nessa vida vai ser igual para todo mundo. As vezes por uma pequena má escolha você acabe passando por mais dificuldades do que outro percorrendo o mesmo caminho, mas com certeza haverá um aprendizado e um crescimento para você que talvez para esse outro não tenha (e se tiver, também não é problema seu… cada um passa pelo que tem de passar… deixe o outro lá). Então, não devemos encarar isso como motivo de frustração.

Se não formos resilientes diante das pequenas intempéries, jamais teremos a visão do todo que está a ser construído, e perderemos bons momentos pelo caminho, talvez até boas oportunidades por não conseguirmos enxergar.

Resolvi escrever isso porque quando decidimos (meu marido e eu) mudar de país sabíamos que não seria fácil, mas como só as grandes dificuldades entraram nas nossas previsões, as vezes nos pegamos um pouco frustrados com algumas pequenas diferenças. E hoje foi um dia desses.

Confesso que é um sentimento bem ruim de se ter estando longe de casa, você tem a sensação de estar pequeno e deslocado, o que pode te fazer duvidar de suas próprias convicções, mas sinto que é algo pelo qual temos de passar para podermos conquistar lá na frente. É como um exercício de fé, o crer sem ver, e tenho exercitado bastante isso ultimamente… Deus sabe!

Hoje, resiliência para mim é ter a certeza de que quando algo me chatear ou não sair conforme eu gostaria é porque tenho de aprender com isso, e darei o meu melhor para que seja um bom aprendizado. A frustração só entra na história se eu deixar.

Sigo em minha jornada… e espero que esse meu pequeno “desabafo” acabe motivando alguém.

Até breve!

Mari Marques.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s